BANDA DA ARMADA

 

 

Nota Biográfica

 

 

 

 

Segundo fontes históricas, já na primeira metade do século XVIII existia na Armada uma "música marcial" intitulada "Charamela". Em 1807 acompanhou a Família Real na sua deslocação para o Brasil.

Deslocando-se a vários países, designadamente à Inglaterra, Bélgica e França, acompanhou o Rei D. Fernando II a bordo da Corveta "Mindelo", efectuando na circunstância uma série de concertos em Bordéus, que lhe mereceram muitos aplausos do povo e da imprensa local.

O primeiro disco gravado em Portugal, pertenceu à "Banda dos Marinheiros" em 3 de Abril de 1903, no Quartel de Marinheiros de Alcântara.

Das suas deslocações ao estrangeiro e Ilhas destacam-se: em 1922, embarcada no navio presidencial "Porto" acompanhou o Presidente da República, Dr. António José de Almeida, na viagem oficial para participar nas comemorações do 1º Centenário da Independência do Brasil, realizando vários concertos no Rio de Janeiro.

Em 1982, deslocou-se à Ilha da Madeira integrada nas cerimónias do Dia da Marinha na cidade do Funchal, e a França, onde participou com mais onze Bandas de várias nacionalidades no Festival Internacional de Bandas Militares de Paris.

Em 1983, é de realçar o sucesso que constituíram os seus concertos nas nove ilhas dos Açores, integrados no Dia da Marinha ali realizado.

Em 1988, deslocou-se novamente à Ilha da Madeira para participar no XI Festival de Bandas Militares no qual conseguiu uma espectacular actuação evocando os 500 anos dos Descobrimentos.

Em 1992, deslocou-se duas vezes aos Açores e a Chateaudun/França, em representação nacional, para participar no 5º Festival Internacional de Música Militar e no qual granjeou os melhores elogios do público e da imprensa, como refere o diário "La Republique du Centre", realçando a sua elevada qualidade e apelidando os seus elementos de "príncipes dos mares e da elegância".

Em 1994, numa gloriosa deslocação aos Estados Unidos da América para participar no XII FESTIVAL INTERNACIONAL DAS AZÁLEAS, em representação nacional actuando ao lado de mais 20 Bandas, tendo efectuado na altura um concerto no Chrysler Hall de Norfolk, onde obteve um grande sucesso.

Em 1997, integrado no 157º aniversário do Montepio Geral efectuou em concerto no Coliseu dos Recreios em Lisboa, no qual colaborou o Tenor Carlos Guilherme, que foi considerado de alto nível.

Ao longo dos tempos têm pertencido e têm continuado a despontar nas suas fileiras vários compositores de reconhecido mérito e nos últimos anos tem apresentado publicamente obras originais , algumas em estreia absoluta.

Foi dirigida sucessivamente pelos seguintes maestros: Caetano Tozzi (italiano), Pascoal Corvalini (italiano), Mark Holzel (alemão), Arthur Reinhardt (belga) e os portugueses António Maria Chéu, José de Oliveira Brito, Arthur Fernandes Fão, Marcos Romão dos Reis, Manuel Maria Baltazar e, desde 1987, José Joaquim de Araújo Pereira.

Para além da actividade militar (deslocações periódicas às unidades da Armada, Guardas de Honra a nível da Marinha e do EMGFA/MDN, Juramentos de Bandeira e Festivais de Bandas Militares), participa activamente na vida cultural portuguesa, efectuando concertos em Lisboa e de Norte a Sul do país, obtendo sempre caloroso acolhimento e significativos êxitos.

Fazem parte dos seus quadros alguns dos melhores instrumentistas da actualidade portuguesa.